domingo, 8 de julho de 2018

Off

Meu computador pifou. Um notebook para ser mais exato. O Windows não consegue carregar. Só funciona no modo de segurança, o que não dá pra fazer nada. Agora estou postando pelo celular que é bem mais difícil, lento, trabalhoso.  Mas por enquanto vai por aqui mesmo.  Escrever pelo celular é diferente. Como o carrego para todo lugar, começo um texto em casa, continuo no intervalo do almoço no trabalho, acrescento algo no dia seguinte, e assim sucessivamente até se formar um texto relativamente grande e concluí-lo.
Mudando de assunto. É correto uma decisão monocrática, ou seja, de apenas um juiz do supremo tribunal superior? Na minha opinião, não é correto. É correto um juiz anular monocraticamente a decisão de um colega? É correto dar habeas corpus para quem foi condenado em segunda instância? Quem tem dinheiro pra pagar advogado entrará infinitamente com recursos, que não é o caso do preso pobre. Se pobre fica preso antes de ser julgado e condenado então o mesmo deveria ocorrer com os poderosos.   Muita coisa precisa ser mudada para o bem do país. Todo o congresso deveria ser mudado com esta eleição que está por vir, mas dificilmente tal coisa acontecerá. Ficando tudo igual ano que vem, a situação até pode piorar, uma vez que o congresso não até nem aí com o povo se os congressistas se considerarem fortalecidos, achando que pode fazer o que quiser, pois caso o congresso eleito seja o mesmo de agora, só comprova que o eleitor assim quis.
Mudando de novo.

Há suspeita de que alguém matou de forma cruel um cãozinho com uma barra de ferro.  Ele ficava na rua a noite latindo com transeuntes

Escrever é um ato de paciência para alguns. O mesmo se aplica à leitura. Vizinho liga o estéreo num volume bem alto. Início a leitura do livro chamado A revolução dos bichos lendo e anotando frases, palavras chaves, assim procedendo consigo ler mesmo sob forte barulho.

Testando off-line

domingo, 17 de junho de 2018

Catemerino - 5

O que faz parte da minha vida, da sua, do brasileiro neste momento? Várias coisas, política, economia, segurança, saúde, diversão-que ninguém é de aço, atividades físicas, esporte, televisão. Mas, neste momento, hoje, este mês, quais coisas estão se destacando e influenciando, para o bem e para o mal ou até mesmo alterando o nosso cotidiano? É o que procuro entender.

No momento o Brasil está com o olhar voltado para a copa do mundo na Rússia. Tenho percebido um menor interesse dos meus colegas, muitos nem se lembram direito da programação dos jogos brasileiros, coisas que anos atrás isso seria impensável. De qualquer maneira, copa não é uma coisa que acontece todos os anos como o carnaval, ajuda a sair da rotina, cria um clima diferente no país, um clima mais animado. Enquanto a bola rola, os corruptos aqui não descansam, pelo contrário, devem estar até aproveitando a distração para poder se locupletarem cada vez mais roubando o dinheiro do povo.
Como estava trabalhando ontem, perdi o jogo de Portugal e Espanha, no dia 15/06/2018, numa sexta-feira, deixei para ver o vídeo tape no sábado. Acabei descobrindo que foi um jogão.
A imprensa anuncia que não teve vaia contra Vladimir Putin na Rússia, mas quem teria coragem, se esqueceram de que lá não há liberdade de imprensa?
Na quinta-feira, dia 14/06/2018, estava eu almoçando no Restaurante Principal ao mesmo tempo em que a Rússia ganhava de 5 a 0 da Arábia Saudita. Me fez lembrar do Brasil.
Não gostei muito de ver o Robbie Wilians cantando na abertura da copa, me deu uma impressão de ser uma pessoa um pouco arrogante. Pessoalmente não me causou boa impressão, nem a pessoa dele, não sei explicar direito o porque, e nem gostei da música dele.
E uma coisa que todo mundo sabe, inclusive eu, Lula será comentarista de futebol.
Ontem foi sábado, saturday, dia 16 de junho de 2018, ontem recebi a visita de alguns adventistas, não sou adventista, sou católico e não me importo de recebê-los. Conversamos bastante, me simpatizei muito com eles.
Hoje é domingo, monday, dia 17 de junho de 2018, dia de estréia do Brasil contra a Suíça na Copa Mundial da Rússia. Ontem garoou o dia inteiro,  but today,  porém hoje, o sol timidamente deu as caras com força o suficiente para reduzir um pouco da friagem de ontem. Na tranquilidade sonora do dia amanhecendo, os seis cachorros do vizinho estavam dormindo, aproveitei para reler mais uma vez a bíblia, começando pelo início, e desta vez, percebendo, descobrindo mais coisas que me passaram desapercebidos nas leituras anteriores.
E por conta da copa, pipocam na mídia todos os tipos de informações sobre a Rússia, conforme   link abaixo,  informações curiosas como placas de rua: pode jogar bola na rua, mas pais correm risco de atropelamento. Curioso isso.
Rússia 1
Navegando pela web, percebo que estou bastante desatualizado em relação aos últimos artistas do meio musical, como não sei de quem se trata Xtina. Pesquisei no Youtube Xtina, surgiu Cristina Aguilera, que também desconhecia até esse momento. Uma melhor olhada, descubro que se trata da mesma pessoa.
Tinha desistido de assistir a terceira temporada de Lúcifer, mas mudei de idéia, voltarei a acompanhá-la, o problema é que a quarta temporada será produzida pela Netflix, e por enquanto ainda não me interessei em adquirir um plano da referida.
Até Albert Einstein é acusado de racismo.  A continuar desse jeito, até Adão poderá ser acusado disso também. E há uma notícia de que russas devem evitar sexo com estrangeiros não brancos, diz uma deputada.  Link aqui.  Será fake news?
Caim tornou-se construtor de uma cidade, dando-lhe o nome de Enós em homenagem a seu filho. Set, filho de Adão e Eva,  gerou Enós, que foi o primeiro ser humano a invocar o nome de Deus. Após ter gerado Matusalém, Henoc andou com Deus que um dia o arrebatou como também um dia arrebatou Elias, sonho este almejado por milhões de pessoas espalhadas pelo mundo. Milhões querem ser arrebatadas, inclusive pessoas próximas a mim que estão sempre me lembrando disso.

domingo, 18 de março de 2018

Círculos

Uma semana atrás, dia 11 de março para ser mais exato, li a página 44 do livro intitulado Getúlio, volume II, escrito por Lira Neto. No dia seguinte, day after,  ou next day, reli, fazendo anotações, à referida página, e assim fiz por uma semana inteira. Nesse ritmo talvez eu leve mais de ano para concluir a leitura, mas sem problema,  o que me importa é fixar, apreender, aprender, entender o Brasil daquela época, refletindo, analisando, procurando entender o porque de certas coisas daquela época ainda serem bastante parecidas com os dias de hoje, como ocorrências de crises financeiras e políticas, mudanças abruptas de governo, me fazendo pensar que o Brasil avança, retrocede, depois avança de novo, se movendo aparentemente em círculos por infinitas rotações.

domingo, 25 de fevereiro de 2018

Pelo telefone

Senti meu corpo gelar totalmente, um forte calafrio me percorreu, não tive forças para me mexer, as vozes vindas dos colegas de trabalho chegavam a mim como se tivessem chegando de lugares muito distantes, e eles nada percebiam, nem notavam o que estava se passando dentro de mim.

Minutos antes o celular tocara, a voz me disse que estava tudo bem, mas, o mas me assustou profundamente.

Estava tudo bem, mas minha mãe desmaiara e batera com a cabeça no chão.

Bater com a cabeça no chão, meu susto aumentou. Mas ela já havia sido socorrida, e estava com a minha irmã no hospital para fazer os exames de praxe, e aguardar o tempo necessário.

Felizmente, graças a Deus ficou tudo bem.

domingo, 31 de dezembro de 2017

Destaques 2017

LIVROS
  1. Ficções - Jorge Luís Borges
  2. Van Gogh - Steven Naifeh e Gregory White Smith
  3. Getúlio - Volume I -  Lira Neto
  4. O livro do sal - Monique Truong
  5. A Deusa cega - Anne Holt
  6. Polícia - Jo Nesbo
  7. Zelota - Reza Aslan 
  8. Dewey - Um gato entre os livros - Vicki Myron
  9. Viva o povo brasileiro - João Ubaldo Ribeiro
  10. À sombra das raparigas em flor - Marcel Proust

Séries de TV 
  1. Bull
  2. Códigos de Bletchley Park  - Mais Globosat
  3. Grande Hotel - 1ª temporada
  4. Mad Dogs - O encontro fatal 
  5. King, uma dama contra o crime
  6. Ema 
  7. Crimes de Fortitudes  - Mais Globosat


Cinema

  1. O Regresso
  2. O Sol é para todos
  3. Lunch box
  4. A beira do abismo 
  5. A vida íntima de Sherlock Holmes 
  6. O abutre

Destaques de outros blogs:

Mata Hari

sábado, 2 de dezembro de 2017

It is enough for me

It is enough for me. Essa é a frase do dia, várias vezes durante o dia volto a ela, no caminho para o trabalho, no almoço, na volta para casa, antes de dormir. Amanhã será outra frase. Esse é apenas um dos métodos que uso para estudar, praticar inglês.

sábado, 11 de novembro de 2017

Pressa, pra quê

Livros, gosto de ler bem devagar, sentir o ambiente, os personagens, visualizar mentalmente o que cada um está fazendo naquele momento. Quando jovem me interessava em aprender leitura dinâmica, cheguei a ler um livro sobre isso, mas não me ajudou em nada. Há certos textos que sua interpretação, entendimento, funciona melhor quando lidos de modo rápido, mas nem todos são assim, pelo menos para mim. Ler devagar, principalmente quando se gosta da histórias, das pessoas nela descritas, quando se gosta de suas características, me sinto bem ao visualizar procurando vivenciar dentro de mim todo o ambiente e tudo o que está acontecendo naquele momento.

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Códigos

Exatamente agora, nesse exato momento, estou sozinho.
Se eu fizesse parte, fosse um personagem da Agatha Christie, ou de algum outro livro de detetive, provavelmente alguém poderia entrar sorrateiramente e me atacar sem que eu percebesse.
Felizmente não sou personagem, e nada disso acontecerá.  
Horas passaram, e ainda continuo sozinho, nem o gato está aqui. O silêncio é tanto, que em certos momentos, ruídos tão baixos são amplificados fazendo parecer que há alguém por perto, enquanto que na verdade, não tem ninguém.
Agora penso nela, tão longe daqui.


Códigos
Agora entra abertura padrão, códigos, aprender a criá-los,  a decifrá-los, me interessa para fins pessoais como exercício para aprimoramento mental.

Pauso o vídeo, uma das melhores coisas disponíveis hoje no mundo tecnológico. 
Após tomar um café, me exercito um pouco
Volto para os  "códigos de bletchley park", ativando o botão play.

While, enquanto acompanho, uso umas folhas avulsas para um risque e rabisque, ajuda a capacitar paciência, a me concentrar melhor, e faz com que a hora passe mais rápida nas cenas menos interessantes e lentas. Faço exercícios faciais, me ajuda a aliviar tensões causadas por acontecimentos recentes ainda não bem digeridos e resolvidos.
Estou ficando viciado em escrever à mão.
Coincidência, vi o primeiro episódio dos Códigos  dia primeiro de maio, e a primeira vítima se deu no dia primeiro de maio.
Pauso de novo.
Mais tarde, volto aos códigos, listar tudo ou todos e depois eliminar os que fogem a um padrão determinado. Vi muito isso em House. While, enquanto acompanho a parte monótona, pratico meu vocabulário bem básico do meu inglês em fase iniciante no  Duolingo.

domingo, 16 de julho de 2017

Fortitude


Faço o login no meu Google Favoritos, no notebook assisto o episódio nove do Fortitude da Globosat, agora passa uma cena que não me interessa, mudo a página e escuto apenas o som, mas o aúdio está em inglês, nada entendo, de repente, silêncio, volto à série, estão dissecando algo e conversando. Dou um bom dia para @nandarochaip.  Ajusto a tela do vídeo no computador, me lembra quando ajustavam a posição vertical da tela no cinema. No Google não acho nada sobre um lugar chamado Fortitude, será o lugar totalmente fictício?  Preciso trabalhar minha ansiedade, por isso tenho dificuldades de assistir um filme de duas horas ou mais num dia só, costumo dividi-lo pelo menos em dois dias, ou até mais, a depender da fita.  Agora dissecam um urso.  Ainda estou nos 11 minutos, assistir pelo notebook não é muito agradável, conheço gente que só assiste filmes assim, e ainda falam que certos filmes que eu vi numa tela grande, serem ruins, é claro, não dá para comparar numa tela minúscula.  Preciso trabalhar a minha ansiedade, compreendê-la, analisá-la, dissecá-la em partes menores como fizeram com o urso polar, chegar nos detalhes. Um personagem com aparência indefesa está sozinho agora, criando um suspense de que alguém oculto pode lhe fazer algum mal. Parece haver uma cena que lembra vudu, mas para o bem, se é que isso existe. Estou apenas pensando, não informando.   Por um bom tempo está no bla bla bla. Mudo a tela. Não só em Fortitude, mas em muitas, dizem quando o celular toca, desculpe, preciso atender.  Não creio que seja assim na vida real estrangeira. Ouço música de suspense, voltei à tela do Fortitude, mas nada vi demais. Mais bla bla bla.   Som de suspense, volto á tela pra conferir. Where are you?, aparece no celular de Frank, essa eu já sei.  O som dá um toque de suspense aos 23 minutos. Lembro que até um certo tempo, os filmes americanos geralmente tinha uma cena sexual mostrada de forma suave, mais para o lado romântico. Era a cena chavão. Na web há notícia sobre o novo filme da Mulher Maravilha.  Em  quase todos os episódios,  Fortitude exibe uma cena forte, as vezes até surpreendente. As pessoas gostam muito de conversar, parece enrolação.  A produção é cara, aparentemente desperdiçada com muito diálogo, deixando a história com um ritmo bastante lento.   Há, esse é o episódio nove.
A lebre ártica tem senso de humor.   Agora que releio este texto dois meses depois, não sei porque escrevi essa frase, a lebre ártica tem senso de humor. Será a fala de algum personagem? Não sei.

Volto ao vídeo, onde escuto o som de alguma coisa se revelando.  "Desumanizando sua vítima".  Aos 40 minutos, tortura. Algumas mulheres parecem ser mais fortes que os homens. Se bem que há muita realidade nisso.  
O que me aborrece nas séries, é que o vilão sempre vence por uma eternidade, mesmo quando está perdendo, e muitas vezes, retorna nas próximas temporadas. Momento enrolação, Fortitude agora está nesse momento.                                                        

domingo, 23 de abril de 2017

Página 362


23/04/2017 - 08 horas
Domingo
Volta Redonda/rj, vinte graus, nublado

Nos fundos da minha casa, eu sentado numa cadeira  sobre a grama verde, o gato deitado ali por perto sobre uma palha, sob os sons estridentes das maritacas, sob o sol fazendo de tudo para nascer, lutando contra as nuvens que insistem em formar uma cobertura espessa o suficiente para escondê-lo, impedindo-o de usar toda a sua potência energética convertida em luz, deixando a terra amanhecida, mas esmaecida.

Sob a calma dessa manhã de domingo em que a cidade ainda dorme, num silêncio fora do normal, em consequência da noite passada em claro causada pelas fortes pancadas sonoras que ribombaram em vários pontos do município, sob a calma dessa manhã de domingo, leio a página 362 e 363 de Getúlio, de Lira Neto, onde coisas interessantes me chamam a atenção.

01-Over the sun

02-Getúlio, de Lira Neto, vol. 01