sábado, 4 de outubro de 2014

Bar do Moura (1)

Bananal/SP.
Bar do Moura.
15 horas.
Verão, ventilador ligado.

TV,  desligada.
Seu Moura não gosta de tv,
por isso não tem tv em casa.
Aparelho de som, baixinho.

O bar tá vazio, apenas o seu Joaquim, freguês fiel tá ali tomando sua pinguinha, enquanto observa o movimento parado.

Seu Moura, com sua bíblia de estudos aberta no início de I Reis, aproveita a paz do momento pra meditar.
Salomão, o escolhido do Senhor,  acaba de ser sagrado Rei, por seu pai Davi. A cidade toda fica alvoroçada, gritos por todos os lados comemoram o fato.

-Seu Joaquim: Lendo bíblia, seu Moura. O senhor é evangélico?

-Claro que não. Se fosse, não poderia ter um bar. Os evangelistas são rigorosos quanto a isso. Mas gosto de estudar a bíblia, nos seus mínimos detalhes, olhe que sei mais do que muitos evangelistas que existem por aí.

MAIS TARDE ENTRA UM SENHOR BEIRANDO UNS QUARENTA, bem arrumado, roupa social, o que causa estranheza ao seu Moura. O que estaria fazendo um homem nesses trajes no seu boteco?

O que acabara de entrar, após um boa tarde, pede um copo de campari, bebericando em doses bem mínimas dando longos intervalos, sentado numa mesa de canto.
OLHA EM VOLTA, apenas um senhor meio acabado, provavelmente alcóolatra, encostado no SUS,  e o dono do lugar, sentado na parte interna ao balcão, parece que lê uma bíblia, coisa curiosa, dono de boteco lendo bíblia.
E ele, (pastor - ler mais), ali tomando uma dose proibida que seus fiéis não podem saber nem em pensamento. Por isso viajara para essa cidade, não tão longe da sua. Beber entre estranhos, sem ninguém de nada desconfiar.

Mas, parece que viu passar na rua uma garota levemente conhecida, que já assistira cultos ministrados por ele. Parece a Karol - mais detalhes, aqui.  Mas o que estará ela fazendo justo aqui, meio longe de sua casa? Deve ter parentes.

domingo, 21 de setembro de 2014

Ensomhed - Hırs

Hirs

Nabot morreu mais cedo por causa de uma vinha. Adonias teria vivido mais tempo se não tivesse ansiado por ser rei (Hirs). Elias andou quarenta dias e quarenta noites no deserto, sem parar (fuga).
O som da panela no fogo me relaxa, por quê?  Dependerá a salvação de nossa espécie uma volta ao passado:  arroz integral  mais ou menos da maneira que nossos antepassados se alimentavam?  O meu retorno às anotações  manuscritas em cadernos de notas, tentando escapar um pouco do excesso de vida digital, teria algo a ver?

Domingo, 10 horas. Os animadores, moradores próximos daqui, tocam no rádio canções, que de tão lindas, não se cansam de repeti-las e por anos e anos, e por várias vezes no mesmo dia, e em altíssimo volume, músicas como  a novíssima "Fuscão Preto", e ainda me saem com ditas novidades, como o dono do fuscão preto que se casou com a empregada, agora é patroa. A vida aqui seria chata sem eles, aparentemente apenas eles tem rádio, o que seria dos moradores, que não querem sossego nos fins de semana, não querem momentos tranquilos com a família........

Apesar das brigas  por causa de uma vinha, nos tempos de Nabot a paz auditiva era bem maior. Hoje fico pensando se eu conseguiria mudar certos hábitos meus, como ficar sem televisão, passear  mais, ler mais. Alguém num blog postou que está sem televisão, acho que faz uns cinco anos, e  tem se sentido melhor. Será?  Na cabeça do Fábio TV com certeza essa idéia não lhe ocorreria nem de longe.

ENSOMHED

Quase todos os dias quando Mariana chega em casa às 19 horas, o seu gato tá ali esperando. Logo se aproxima querendo carinho. Há dias que cansada, impaciente, o trata mal e o chuta. Após pequenos miados, ele se afasta e observa de longe. Mariana nota Cleópatra sobre a mesa, marcado na página 25.  Stacy Schiff. fala sobre templos sagrados para os gatos naqueles tempos, onde  eles tinham boa vida.

Mas hoje Mariana não viu o seu gatinho. Deve estar por aí. Uma hora depois o procura e não o acha. Começa a sentir uma certa falta dele, nunca pensara que um dia sentiria isso. Várias vezes desejou que sumisse dali, sem saber que já se acostumara com a sua presença, que sua ausência lhe deixaria um vazio no coração.

domingo, 24 de agosto de 2014

Textos de outros blogs - 22


1-Folha Amassada

Blog: Sem Medida - Lúcia Soares
Link - clicar aqui
Trecho:

"Quando criança, por causa de meu caráter impulsivo, tinha raiva à menor provocação.
Na maioria das vezes, depois de um desses incidentes me sentia envergonhado e me esforçava por consolar a quem tinha magoado."
2-O Terminal




Link - O Terminal

Trecho:

Todas as vezes em que eu ia para a cidade de Guaíra-SP de ônibus, percebia que uma mesma senhora ia também. E no mesmo dia, quando eu retornava para Barretos, ela também voltava.

3-Pessoas que atravessam paredes
Tony Belloto
Blog: Cia das Letras
Link: Da intransponibilidade dos objetos
  
- - -Pessoas que se atiram contra paredes

  
20120914-130133.jpg
*_*Coisa estranha que o Tony Belloto escreveu no blog dele.

Relatos de uma estranha compulsão, a que faz pessoas se atirarem contra objetos na tentativa de atravessá-los.
Há casos citados de pastores de cabras que se atiraram contra muros de pedra.

Texto completo, no link acima.


4-Ser diferente

A Dama de Cinzas

Texto completo - clicar aqui
  
- - - - - - - - - - -

"
Eu não aceito isso porque sou diferente! -"

Carlos Medeiros:
Conheço pessoas que são do contra. Tudo que você diz, ela tem uma opinião contrária e de forma bastante veemente, as vezes, até mesmo, constrangedora,  mas sem ter consciência disso.   Eu mesmo sou diferente num certo aspecto, em relação às pessoas que são muito extrovertidas, muito abertas, e algumas dessas pessoas me criticam por eu ser mais reservado.

Sou diferente em certas coisas.
Ex: a maioria dos que conheço gostam de passar um domingo inteiro num churrasco, tomando cerveja, ouvindo pagode ou funk o dia inteiro, sem enjoar.  Não gosto.

Não gosto de ficar o dia inteiro preso num lugar, mesmo que seja numa área de lazer. N Gosto de ter o dia livre, com agenda livre, pra me movimentar por onde quiser, e fazer o que der na telha, normalmente uma caminhada pela manhã, conversar com amigos em encontros casuais...  O que der na telha, ao sabor do momento.

* * * * *

5-O que te faz abrir um livro

Vanessa Anacleto

Blog: Fio de Ariadne
Facebook

O que te faz abrir um livro?

"Com a diversidade de títulos e temas o que pode motivar o leitor a comprar, fazer um empréstimo na biblioteca, pegar com um amigo determinado livro. Eu confesso que sou meio dispersa, estou sempre interessada em muitas coisas mas nem tudo me prende por muito tempo. Com a internet e seu conteúdo raso e breve, manter o hábito de uma leitura aprofundada é uma tarefa árdua porém necessária."

Carlos Medeiros:
O que me faz abrir um livro?
Não sei. O que faz uma pessa ligar a tv, o rádio?
Simplesmente a vontade de fazer.

Tenho comigo uma vontade de ler algo, mesmo que por pouco tempo, dividido em vários tempos num dia, intercalado por várias atividades.

Mas, o que me faz abrir um livro em específico?
O título, a capa, o autor, suas referências sobre ele.


6-Manifestações

Nanda
Blog: Idade da Pedra


Publicado em 23/06/2013 - texto completo - aqui


"Manifestações - eis um assunto 'cabeludo'...rs - Acho o movimento inicial (MPL) um erro. Que se cobre qualidade, preços justos, melhores condições, etc. Mas passagem grátis? Quando? Como? De qualquer forma, o movimento foi ganhando corpo a cada dia; mais pessoas chegando, pedindo pelo fim da corrupção, melhorias na saúde, educação, etc. Pra mim, virou uma espécie de Frankenstein. Uma parte radical; outra, democrática. Uma parte queria paz, outra, violência.

Também fiz uma associação com a série Seinfeld. E sobre tudo e, ao mesmo tempo, por não ter foco; sobre nada. "

7-Estilo

 


Michele Pupo
Livro publicado:
Vastas emoções, vagas promessas

Para comprar - clicar aqui

Blog

Texto completo - aqui

"Sempre me impressionei com as pessoas que possuem uma forma particular de ser e estar no mundo. Acho o máximo quando alguém reage de modo especial a alguma coisa, quando se veste, pensa ou compreende algo de um modo muito "seu". Isso se chama idiossincrasia e é uma questão de estilo. "

Carlos Medeiros:
Dicas de livros sempre são bem vindas. Tenho no computador uma lista de livros para ler, inclusive o da Michele. A lista é bem maior do que o tempo disponível para leitura, além disso, gosto de ler devagar, ficar por mais tempo nos melhores trechos, curtindo por mais tempo um bom texto. É claro que a velocidade de leitura é uma coisa minha - bem pessoal, cada pessoa é uma pessoa, um mundo diferente, e no meu caso depende também  do livro.  Há livros bons, porém com textos mais difíceis, como há aqueles bons mas com texto cuja leitura flui fácil. 

 

 8-Retrospectiva 2013

 

Pedrita faz uma retrospectiva cultural de 2013, ela é bastante focada em filmes alternativos, que curto bastante. Algumas dicas dela:  Faroeste caboclo, Sudoeste-de Eduardo Nunes, Veneno da madrugada,  livro Equador-de  Miguel Souza Tavares, de quem nunca ouvira falar, 

http://mataharie007.blogspot.com.br/2013/12/retrospectiva-2013.html 

 

........

Post iniciado em 08/06/2013.

sábado, 19 de julho de 2014

Duas vezes sortudo - isso só acontece uma vez na vida



Uma delícia  os segundos que antecedem a abertura de uma caixa como a do Idade da Pedra.  Melhor ainda quando vou abrindo e descobrindo os brindes:  

Stars Wars, Os 2 últimos  são inéditos pra mim.
O Aran - em livro -  estou conhecendo agora, e o velho Ziraldo me proporcionou aquela sensação gostosa de nostalgia.  Há o dino, lindo, que não posso deixar de mencionar. O chaveiro - tou sempre precisando de mais um - veio bem a calhar.



Mas, antes disso, pelo twitter da Nanda fiquei sabendo que a encomenda já estava a caminho, e não havia ninguém em casa. Mais tarde  constatei que a mercadoria havia sido entregue. Mas como, se não tinha ninguém em casa?   Liguei pra minha mãe e ela não estava sabendo de nada. Perguntei pra vizinha mais próxima, que nada sabia.  Isso deixou em mim uma certa sensação de vazio por dentro, pensei na possibilidade de alguém estranho que estava por perto ter recebido a mercadoria. Senti um certo desânimo.
Mas, no outro dia logo pela manhã, minha mãe que voltava da caminhada chegou com um pacote na mão, uma moradora duas casas depois recebera pra mim. A  coincidência é que ela é pernambucana - como a Nanda -  morando em Volta Redonda há  mais de vinte anos.


E a primeira vez, em 2011.

Como é difícil ter alguém em casa, o carteiro deixou um billhete, com um telefone, pelo qual fiquei sabendo que poderia pegar a encomenda no correio do bairro Aterrado, lá chegando me disseram que estava no bairro   Retiro.

No Retiro me mandaram voltar no Aterrado, onde mais uma vez afirmaram que estava no  Retiro.  Aí reclamei de que não ficaria pra lá e pra cá igual joguete.
Sob a minha insistência, ligaram para o Retiro, obtendo de volta a informação de que não estava lá.
Resolveram ligar  para a Central no Aterrado, onde de fato se encontrava a mercadoria, mas haviam esquecido de atualizar a informação no computador.

Fui para lá.  Local afastado, deserto, até meio sinistro, chegando lá, fui recebido por dois seguranças armados.
Pensei: é hoje.
Mas após apresentar o protocolo da encomenda, chamaram um atendente que finalmente me trouxe o pacote.

Isso já era 17 horas.
Não dava mais pra trabalhar, mas tinha deixado minhas coisas, por isso voltei.
Quando cheguei com o pacote na mão, escutei o chefe comentando com   alguém que eu já estava gastando a primeira parcela do décimo terceiro.

Continuando.......

Os brindes do primeiro.
A trilogia  De Volta para o futuro. Quando visto no cinema, não entrei bem no filme,  ele me pegou na cena final quando o cientista maluco vem do futuro. A empolgação do personagem me contaminou e passei a adorar o filme, tanto que  perdi a conta de quantas vezes revi em reprises na tv. E que não me canso de rever, principalmente  agora com um gostinho especial.

O primeiro Identidade Bourne aconteceu algo parecido, que me pegou só no finalzinho, por conta da  música que entra quando o filme acaba.  Pronto. Revi e continuo revendo, gostando mais da primeira fita - a morte da personagem feminina - no segundo filme - me desagradou um pouco.


E o primeiro dino, todo charmosinho - meio empinadinho na estante - me olhando de cima enquanto navego na web. Cheguei a tirar fotos dele, mas não consegui captar o modo imponente como ele parece estar me olhando.


domingo, 13 de julho de 2014

Atitudes que ajudam a esquecer os problemas e a relaxar



Texto completo- clicar aqui
  1. MUDE SUA FORMA DE ENXERGAR AS  COISAS.  
  2. ANOTE O QUE LHE INCOMODA.  No meu caso, incomoda os serviços caros e ruins no Brasil, como a Claro 3G e Claro TV. Única maneira de resolver: Cancelar.
  3. ACEITE OS CONTRATEMPOS
  4. TENHA UMA VÁLVULA DE ESCAPE:  hobby, praticar esportes, ouvir música.  No meu caso, acho que o melhor seria praticar atividades ao ar livre, o problema é que no verão isso se torna inviável devido ao forte calor abafado de Volta Redonda.
  5. RESOLVA UM PROBLEMA POR VEZ.
  6. NUNCA SE ESQUEÇA DE RESPIRAR CORRETAMENTE.
  7. ACREDITE EM ALGO  MAIOR.  Em Deus.
  8. DURMA BEM.
  9. DISTRAIA-SE COM MÚSICA. Preciso fazer isso mais vezes.
  10. CONCENTRE-SE NO PRESENTE.


E......
RESPEITAR SEUS LIMITES:  quando cansado, melhor parar. 

NÃO ENTRE NO ESTADO DE ESPÍRITO ALHEIO:  não se irritar quando o outro está irritado, não se deprimir por causa de outrem, não ser o espelho de outro. 


*_*Copa do Mundo 2014

Para (tentar)  relaxar:

"Nem a fábrica da Volkswagen faz 5 gols em 30 minutos".  


sábado, 28 de junho de 2014

Pastor Moisés (7) - Vinho, futebol e promessa



Hoje é  dia de Brasil e Chile se confrontarem na copa do mundo.
O ser humano é ritualístico por natureza. E como dizem que vinho tinto faz bem para a saúde do coração, resolvi experimentar uma taça, hoje.

Deve fazer uns quatro anos que duas garrafas de vinho tinto me aguardam, lacradas, num armário, local nada próprio considerando a opinião dos especialistas. Mas como não sou especialista em bebidas, muito menos em vinho, guardei ali mesmo, creio que não perceberei diferença no gosto da bebida. E também o objetivo maior de degustar uma bebida vinda da uva, e  até mesmo trabalhada por Jesus, é o de tentar observar se realmente pode alterar para melhor, os valores do colesterol.

Mas, repetindo, o ser humano é por natureza um ser ritualístico. Sem o ritual, parece que muitas coisas na vida perdem a graça, assim como muita gente gosta de abrir o saco de pipoca logo que o filme no cinema  inicia, tratando-se na verdade de  um ritual.



Na garrafa consta tratar-se de uma safra de 2007, de uma vinícola localizada em  Flores da Cunha,   e logo peguei mais informações via g o o g l e, onde consta que o Rizzoto está entre os melhores numa lista de 2012, mesmo que por último, e nem sei se o dessa safra é considerado de boa qualidade.



Segundo os especialistas, os enólogos, o vinho brasileiro costuma ter um sabor verde, com taninos mais pesados, que chegam a incomodar um pouco.  Após uma hora de enrolação, de uma espécie de ação ritualística, chegou o momento de finalmente degustar uma taça de vinho, prestando bastante atenção no detalhe do sabor verde. O problema é que nesse meio tempo, senti fome e estraguei a pureza do paladar tomando um café com bolo. Mas tudo bem. Vamos lá.

Não consegui perceber o sabor verde, não achei nem bom nem ruim, talvez por ser do tipo M e r l o t - normalmente com menos tanino. Não consegui degustar uma taça inteira, próxima vez tomarei no máximo  meia taça, ou um pouquinho menos,  e olhe lá.

Para efeito de comparação, terei de provar futuramente  um i n d i c a d o por bebedores sofisticadíssimos, que mencionam a ausência de sabor verde no tal vinho.

Agora, já com o coração mais leve,  que pelo jeito é realmente bom para o coração, assistirei o Brasil contra o Chile, meio dormindo-meio acordado, mas lamentando não ter comigo o AS3 Cabernet Sauvignon Varietal 2012 chileno, que seria bastante apropriado para acompanhar o jogo. Passados uns 16 minutos do início do jogo,  gritos ecoam mais ou menos por perto, pelo jeito é gol, mas na minha TV o gol do Brasil leva uns 20 segundos para aparecer.

*_*MAIS.......

Melhores vinhos para a saúde, segundo um determinado médico. Link.

Cabernet  Sauvignon do Chile, rico em antioxidantes, por ser produzido em grande altitude.

Outros benéficos:  Pinot Noir e Shiraz.
Vinhos baratos,  jovens  e com tampa de rosca, tendem a ser melhores para o coração.

Flavanoides, Resveratrol ou polifenóis encontrados na casca da uva vermelha são os responsáveis pelos benefícios ao coração, aumentando o bom colesterol, dilatando a veia, reduzindo em 20% o risco de derrames.

Mas, e o infarto, que é tão preocupante hoje em dia?

Ressalva: vinho deve ser tomado em quantidades super moderadas desde que não haja problemas homeopáticos. Ideal conversar com médico.


FUTEBOL COPA 2014


 

Chile perdendo, bom para a    a t r i z pornô chilena, que poderá descansar,  não será obrigada a cumprir promessa, talvez até tenha feito outra promessa, secreta, para o Chile perder.



E deu no que deu.

domingo, 15 de junho de 2014

Copa Espanha do Mundo 1982













Em 1982 Brasil perdeu para a Itália, por culpa do fenômeno, surgido do nada,  Paolo Rossi, que contribuiu para a Itália se tornar campeã naquele ano.

No colégio, aparelhos de tv colorida, colocadas no pátio do recreio, da extinta marca Telefunken, causavam em mim vontade de estar em casa assistindo futebol, embora numa velha tv preto e branco,  valvulada - com imagem esticada - da também extinta marca Colorado, sem saber naquela época que se tratava de uma marca nacional, talvez até mesmo por isso, vivesse quebrando. Mas, para falar a verdade, naquela época não sentia nenhum atrativo pelas tv's coloridas.

*_* E NO PAÍS DA COPA.




sábado, 31 de maio de 2014

Brasil - o país do futebol?

Brasil é um país curioso, ama a copa do mundo, e a odeia ao mesmo tempo. Aceita a copa quando disputada fora daqui, ou será que há mais pessoas que não se importam tanto assim com o futebol, como eu. Anos atrás, a considerar pelas copas passadas em que uma parte dos brasileiros  parece perder a razão, como fazer coisas que não faria em outras situações,  ficar desesperado para chegar em casa numa corrida louca pelas ruas,  achei que ficaria ainda mais insano numa copa disputada em casa. E não foi o que ocorreu. Nunca vi uma copa tão desanimada assim. Pelo menos aqui em Volta Redonda não vejo faixas penduradas pela cidade, não vejo uma estrela do futebol brasileiro escolhida, propagandeada, bombardeada  pela Globo,  sendo discutida por todos na rua.

...............................................
PS.






Ganhei pela segunda vez na promoção do idade da pedra - Nanda, e claro, gostei muito, principalmente por se tratar de uma promoção promovida por um blog que gosto muito.

Há o que falar sobre o maio de 2011, mas ainda não consegui melhorar o rascunho iniciado naquele ano.  Mas chego lá.

sábado, 10 de maio de 2014

Chuva é de Deus

Bem ao longe vejo carros passando, de forma silenciosa, diferente de quando pertos. É mais poético, vistos ao longe.
Evangelho escrito em grego:  jovem conceberia o Filho de Deus, alguém em Israel pode ter traduzido, jovem para virgem. Por ser moça, talvez considerassem virgem.

Ouvi falar que não chove em Lima.  Deve ser esquisito uma terra sem chuva. Não me imagino gostando de um lugar assim.

Rosamaria algumas vezes deixa livros "esquecidos" em lugares diferentes, como "cafés", no mercado, no carro de alguém.  É uma idéia para matutar.

Um lugar pra conhecer, Teresópolis, com dicas da Jô Turqueza Rio de Janeiro.

Leio melhor Proust enquanto caminho, texto parado parece melhor lido quando estamos em movimento.  Por quê Proust faz tanto sucesso entre os críticos? Por quê é tão reverenciado entre certos escritores? Escritores normalmente escrevem até o fim da vida. Mas as idéias de um blog se esgotam mais rapidamente, chega uma hora que parece que tudo foi falado, comentado, que não há nada de novo no front.  A autora do livro "Vamos falar sobre Kevin" afirma ser contra a leitura de clássicos. Discordo. O mundo hoje é muito corrido, o trânsito, a mídia, tudo é agitado. Ler um clássico, um livro dos tempos que as pessoas tinham um ritmo muito mais lento parece ajudar a diminuir nossa ansiedade. E hoje tá meio frio, tempo ideal para ler um clássico, embora no Caminho de Swan haja comentários de que está um pouco quente, mas acredito que o calor de Combray não seja o mesmo de Volta Redonda.

Adoro esse tempo, quando dá máxima de 24º. Vejo que em Recife deve fazer calor, com máxima de 31º. 

Num mundo distante..............




.

sábado, 26 de abril de 2014

Karol (01)




No inverno, entre 13h e 14h, um senhor uniformizado, de uns 50 anos, costuma perambular por aqui, perto de minha casa, numa praça normalmente deserta com um livro na mão, me deixando curiosa sobre  que livros  lê, mas não dá pra me aproximar. Umas vezes passei por perto tentando descobrir do que se tratava, mas sem sucesso, até que um dia consegui vislumbrar o título:  O SENHOR DO FALCÃO, que posteriormente  resolvi também ler. Acabei gostando, principalmente considerando que a escritora italiana VALÉRIA MONTALDI é formada em  história da arte. A trama se passa no período medieval, parece que no período feudal, e dentro de uma história fictícia, há relatos embutidos, verdadeiros.


HÁ TAMBÉM UM CARTEIRO que passa por aqui, mais ou menos no horário do desconhecido, vez ou outra costuma ler algo, as vezes pega um caderninho onde faz anotações. O lugar tranquilo facilita esse tipo de coisa.

As vezes aparece um outro carteiro, aparentemente de costumes diversos do outro, que enquanto descansa  numa praça, costuma tirar da mochila um vidrinho e bebericar.

Mas um dia me assustei um pouco, observava o movimento parado, acompanhada do Fernando Pessoa, quando escutei uns latidos ali por perto. Olhei melhor, os latidos eram dirigidos para um rapaz sentado no chão mais pro final da praça, um pouco escondido. Fiquei um pouco preocupada, o lugar ali é bastante deserto, demora pra passar alguém, com certeza ele queria ficar sozinho e meio escondido para dar vazão a algum vício.