sábado, 10 de novembro de 2012

Parece que o sagrado não tá nem aí

Aos doze anos, ele carregava no pescoço um crucifixo. Se sentia seguro com ele. Um dia, aos doze anos mesmo, foi atropelado por um ciclista. Ficou trinta dias de cama.
No hospital, ao acordar após a cirurgia, procurou pelo crucifixo, mas nada encontrou. Nunca mais usou um.

O tempo passou, muita coisa aconteceu, a tecnologia evoluiu, até que veio o celular. O primeiro era simples, nem câmera tinha, servia apenas para falar e enviar mensagens, se bem que funcionava muito bem como despertador. Durou cinco anos, até que passou para frente, ainda funcionando.

Comprou um mais moderno, com câmera. Primeiro colocou a foto da namorada na área de trabalho. Achava bonito isso. Mas, passados uns meses, ela fez alguma coisa que o aborreceu, que o deixou meio decepcionado. Apagou a foto, pensando, ninguém  merece tanta consideração assim. Parece que fazendo isso, o relacionamento até melhorou.

Trocou a foto da namorada pela foto de uma bíblia, na área de trabalho. Achou que por ser sagrado, talvez daria sorte ao aparelho que duraria bem mais. Um ano depois pifou, mesmo fazendo o conserto, durou apenas alguns meses. Arrumou um celular mais moderno ainda, gravou nele um arquivo contendo a  bíblia completinha. Um ano depois o celular pifou.

No século XI, Salomão construiu um templo, que seria a casa de Deus, sendo mais tarde, em 586AC, destruído por Nabucodonosor.

5 comentários:

Palavras Vagabundas disse...

Quanto mais tecnologia, mais frágil, rs
Eu sou daquelas que a única coisa que eu quero do meu celular é falar.
bjs
Jussara

FABIOTV disse...

Olá, tudo bem? Interessante a postagem. Eu sou meio jurássico. Uso o celular apenas para ligar e receber chamadas.. Rs... Abraços, Fabio www.fabiotv.zip.net

Nanda disse...

Antigamente, só me importava se o 'bicho' fazia e recebia ligações...rs - Mas com o tempo, fui me encantando com as facilidades dos aparelhos modernos; com câmeras, músicas e mil aplicativos. Hoje, não vivo sem. E o mundo está cada vez pior/ agora querem tirar a expressão 'Deus seja louvado' das notas - Eu colocaria: 'Deus, dai-nos paciência'...rs - Inté.

katy disse...

oi carlos, quando eu comecei a ler seu texto lembrei da menina de 12 anos que matou uma mulher em soure. pensei que talvez ela nunca tenha usado um crucifixo... bom feriado.

Claudete disse...

Carlos , estou de volta, melhorando, obrigada pelo incenivo, mas vamos ao post: meu amigo inteligente e perspicaz, para compreendê-lo temos que ser cristão, rs, não fanático!Só prova para nós que Deus( O Sagrado) não é controlador, nos dá sempre a opção de seguí-Lo ou não...Desde a criação , tendo os Anjos com sua primeira milícia celeste Êle já sabia o que fazia, pois criou desde o princípio o "livre arbítrio", como compreenderíamos a grandiosidade do Sagrado se não crêssemos neste paradigma? O mal existe, mas o Bem se sobrepõe quando não alimentamos em nós medo do primeiro .Acredito que temos o poder( Espírito Santo) que recebemos no Batismo e confirmamos no Crisma, logo não são os símbolos sem a Fé que nos protegem. Fujamos das ciladas do "inimigo" , "pois não lutamos contra seres humanos e sim contra as potestades e forças malígnas que se encontram nos ares" (Ef.6, 10-20). Abraço e boa semana.