sábado, 28 de maio de 2011

O que pode ser bom para ajudar a evitar o mal de alzheimer

Dizem que resolver palavras cruzadas, ler, decorar textos, é bom para o mal de alzheimer. Na verdade ajuda, mas não faz milagres. Há uma atriz com essa doença.

Esses dias escrevendo no papel, notei que escrevendo devagar, produzia um efeito gostoso na minha mente, aquietando-a, fazendo-a relaxar. Fiquei pensando se haveria alguns escritores com esse mal, nesse caso, escritores que escreviam no papel.

Escrever no computador, não percebo o mesmo efeito. Talvez por escrevermos muito rápido.

Não me lembro de ter ouvido falar de músicos sofrerem desse mal. Será que música faz bem? E atletas?

- - -Mais:

Gente famosa com alguma deficiência

Escritor inglês com esse mal, mas escreverá ele à mão?

Tudo sobre alzheimer

5 comentários:

katy disse...

oi carlos, essa doença é muito ruim mesmo. seria bom se tivesse uma cura. pena que não tem. bom fim de semana.

Luzinha disse...

É uma doença triste né...mais exercitar a mente nunca é demais, é sempre bem vindo!!!

Bom final de semana

Nanda disse...

Deve ser tão triste perder as lembranças.O incrível é que, pelo que sei, com a doença, a pessoa pode lembrar de fatos bem antigos, até de infância. Mas passa a esquecer os fatos mais recentes; pessoas e lugares. Tem festa na caverna e acho que vai gostar do resultado da promoção =)

Nanda disse...

Voltei! Coloquei duas músicas no vídeo. A primeira, Que sera, sera. A original foi cantada por Doris Day; num filme de Hitchcock. A sugunda música: All over the world; faz parte da trilha do filme Xanadu! Beijos e parabéns.

BNÊ disse...

Tenho medo desse mal. Lembro de fatos até de quando tinha 4, 5 anos, e nestes meus 58 anos que espero completar em novembro, esqueço nomes das pessoas, palavras.
Falta de exercitar a mente não é, pois leio até bula de remédios, vários blogs e jornais. Inclusive faço uma coluna de variedades num jornal semanal, e dependo demais do dicionário jogado no pé para socorrer na procura de palavras.
Sei lá viu, embora não há histórico na minha família, a verdade é que esse alemão me deixa temeroso.